Desenvolvimento da Cidade e Meio Ambiente

Claudio Denicoli dos Santos

Meio Ambiente inicia fiscalização de caixas de gordura no comércio da Expedito Garcia

Por Tatiana Moura, postado em 20/08/2019
Fotos Lucas Calazans

Nesta segunda-feira (19) técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento da Cidade (Semdec) e da Companhia Espírito-santense de Saneamento (Cesan) percorreram a Avenida Expedito Garcia, em Campo Grande, fiscalizando a existência de caixas de gordura nos restaurantes.

A ação foi iniciada há cerca de dois anos e meio e retomada nesta segunda-feira, por isso, ao invés de serem notificados os comerciantes que não tivessem cumprido a medida seriam, imediatamente, multados nos termos da legislação vigente, tendo em vista que eles já tinham ciência da necessidade de implantar o mecanismo.

Ao todo foram visitados 11 estabelecimentos, mas nenhuma multa foi aplicada pois todos possuíam o equipamento. Em alguns casos faltava apenas a manutenção. O bairro Campo Grande foi escolhido devido à grande demanda apresentada.

“Da Cesan e da prefeitura por manutenção das  redes. Os gastos com limpeza são muitos”, explica a subsecretária de Meio Ambiente, Camila Gomes.

O técnico em manutenção da Cesan, Leandro Sales, explica que hoje o principal problema em relação à rede de esgoto em Cariacica, sobretudo na Avenida Expedito Garcia, é o fluxo intenso de gordura em local inapropriado.

“Esse trabalho que a prefeitura faz, em relação à fiscalização, é importante porque a caixa de gordura impede que a gordura vá para a rede e, quando ela não vai para rede, há uma redução muito grande de entupimentos”, explica.

Ainda de acordo com Leandro, por mês, a estatal gasta em torno de R$ 20 mil reais com a remoção de gordura da rede. Ele explica que na tentativa de frear esse gasto a Cesan tem investido em um trabalho de prevenção na Expedito Garcia há pelo menos seis meses.

“Mensalmente, limpamos antes que a rede comece a vazar e isso reduziu em mais de 80% as reclamações de vazamento”, comemora.

Além de possuir a caixa de gordura o comerciante deve atentar-se ao fato de mantê-la limpa. A periodicidade da limpeza varia de acordo com o porte do estabelecimento.

Fabiane Coimbra é proprietária do Restaurante Coimbra Grill e faz questão de ter e manter limpa a caixa de gordura.

“Fazemos a limpeza da nossa caixa duas vezes por semana e até três no início do mês quando o nosso movimento é maior. Limpo porque não vou mandar resíduo para local impróprio”.  

A não instalação da caixa de gordura constitui infração sanitária, conforme o decreto número 103 de 29 de dezembro de 2009. 

banner