Notícias

Pesagem da segunda vigência do Bolsa Família termina em dezembro

As famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família que ainda não realizaram a pesagem obrigatória têm até o dia 20 de dezembro para fazer o acompanhamento do segundo semestre de 2018. Quem recebe o Bolsa Família deve cumprir os prazos determinados pelo programa, assim que se inscrevem. Caso isso não aconteça, o benefício é bloqueado ou suspenso.

O público estimado para acompanhamento nesta vigência é de cerca de 40 mil pessoas. Destas, 12.434 são crianças (que precisam acompanhar o crescimento e desenvolvimento, cobertura vacinal e suplementação de vitamina A) e 440 são gestantes estimadas (que precisam realizar o pré-natal nas Unidades de Saúde).

A pesagem do Bolsa Família é realizada em diversas unidades de saúde, conforme a tabela abaixo. Além das próprias unidades de saúde, a divulgação do calendário é feita constantemente nos Centros de Referência em Assistência Social (Cras) e em unidades de ensino. É necessário pesar toda a família, estar com a vacina em dia e, em caso de gestantes, é necessário o acompanhamento pré-natal. Caso o acompanhamento não ultrapasse 30% das famílias beneficiárias, o município deixa de receber o recurso federal, repassado por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) para investimentos na Saúde, Educação e Desenvolvimento Social. O recurso visa a melhoria no atendimento e acompanhamento das famílias beneficiárias.

Confira o cronograma de acompanhamento nas unidades de saúde:

cronograma

Critérios

Para receber a transferência direta de renda que beneficia famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza é preciso ter compromissos com a Educação, a Assistência Social e a Saúde. Caso a pessoa não cumpra, o benefício pode ser bloqueado ou suspenso. Para atender as exigências é simples: na Educação, é preciso ter regularidade na frequência escolar e, na Assistência Social, é preciso manter o cadastro atualizado a cada um ano e meio.
Já na Saúde, é necessário ir até a unidade de saúde mais próxima de casa para procedimentos como: pesagem, vacinação em dia e acompanhamento de pré-natal pelo menos duas vezes ao ano, sendo uma vez a cada semestre. Para que isso aconteça, é necessário apresentar os seguintes documentos: cartão do Bolsa família, cartão de vacina (para crianças de até 9 anos), cartão da gestante (para gestantes) e documento pessoal com foto do responsável familiar. Portanto, o beneficiário que ainda não cumpriu esse compromisso, deverá buscar o serviço de saúde mais próximo de sua residência.

Repelentes

As mulheres grávidas que recebem o benefício do Bolsa Família devem ficar atentas para a retirada dos frascos de repelente disponibilizados nas unidades de saúde. A entrega é feita durante as consultas do pré-natal e a medida pretende auxiliar na prevenção contra a zika.
“O fluxo para atendimento e entrega dos repelentes consiste no acompanhamento de pré-natal nas unidades e identificação das grávidas que recebem o benefício. A partir do atendimento, o dado é registrado no sistema federal e é gerada uma lista com o nome das gestantes acompanhadas já identificadas, que é disponibilizada em todas as unidades. A iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Social ocorre pela grande infestação do mosquito Aedes aegypt no território capixaba, bem como as doenças a ele relacionadas: dengue, zika e chikungunya. No caso das gestantes, a zika representa o maior risco por sua relação com os casos de microcefalia em bebês”, explica Vanessa Alvarenga Crispim Pereira, referência técnica do Bolsa Família na Secretaria Municipal de Saúde.

''

Escrito por

Sou estudante de Jornalismo e estagiário na Comunicação da Prefeitura de Cariacica.