Bolsa Família: crianças menores de 5 anos têm direito à suplementação de Vitamina A

Por Rosa Mariana, postado em 30/08/2018
Fotos Comunicação PMC



Crianças com idade inferior a cinco anos e que participem do Bolsa Família têm direito à suplementação de Vitamina A. Todas as unidades de saúde realizam a suplementação em sua rotina, de segunda a sexta-feira, das 8h às 15h. O objetivo é reduzir e controlar a deficiência nutricional dessa vitamina A em crianças de 6 a 59 meses de idade. As metas de suplementação são de 1.813 crianças de 6 meses a 11 meses e 29 dias; e de 7.031 crianças de 1 ano a 4 anos, 11 meses e 29 dias.

A pesagem do Bolsa Família é realizada em diversas unidades de saúde, conforme a tabela abaixo. Além das próprias unidades de saúde, a divulgação do calendário é feita constantemente nos Centros de Referência em Assistência Social (Cras) e em unidades de ensino. É necessário pesar toda a família, estar com a vacina em dia e, em caso de gestantes, é necessário o acompanhamento pré-natal. Caso o acompanhamento não ultrapasse 30% das famílias beneficiárias, o município deixa de receber o recurso federal, repassado por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) para investimentos na Saúde, Educação e Desenvolvimento Social. O recurso visa a melhoria no atendimento e acompanhamento das famílias beneficiárias.




Confira o cronograma de acompanhamento nas unidades de saúde:


Bolsa Família 2 vigência 2018


Critérios

Para receber a transferência direta de renda que beneficia famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza é preciso ter compromissos com a Educação, a Assistência Social e a Saúde. Caso a pessoa não cumpra, o benefício pode ser bloqueado ou suspenso. Para atender as exigências é simples: na Educação, é preciso ter regularidade na frequência escolar e, na Assistência Social, é preciso manter o cadastro atualizado a cada um ano e meio.

Já na Saúde, é necessário ir até a unidade de saúde mais próxima de casa para procedimentos como: pesagem, vacinação em dia e acompanhamento de pré-natal pelo menos duas vezes ao ano, sendo uma vez a cada semestre. Para que isso aconteça, é necessário apresentar os seguintes documentos: cartão do Bolsa família, cartão de vacina (para crianças de até 9 anos), cartão da gestante (para gestantes) e documento pessoal com foto do responsável familiar. Portanto, o beneficiário que ainda não cumpriu esse compromisso, deverá buscar o serviço de saúde mais próximo de sua residência.


Repelentes


As mulheres grávidas que recebem o benefício do Bolsa Família devem ficar atentas para a retirada dos frascos de repelente disponibilizados nas unidades de saúde. A entrega é feita durante as consultas do pré-natal e a medida pretende auxiliar na prevenção contra a zika.


“O fluxo para atendimento e entrega dos repelentes consiste no acompanhamento de pré-natal nas unidades e identificação das grávidas que recebem o benefício. A partir do atendimento, o dado é registrado no sistema federal e é gerada uma lista com o nome das gestantes acompanhadas já identificadas, que é disponibilizada em todas as unidades. A iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Social ocorre pela grande infestação do mosquito Aedes aegypt no território capixaba, bem como as doenças a ele relacionadas: dengue, zika e chikungunya. No caso das gestantes, a zika representa o maior risco por sua relação com os casos de microcefalia em bebês”, explica Vanessa Alvarenga Crispim Pereira, referência técnica do Bolsa Família na Secretaria Municipal de Saúde.