Categoria : Desenvolvimento da Cidade e Meio Ambiente – SEMDEC

Dia da Água é celebrado com ações em unidades de ensino

Sem água não há vida no planeta. E apesar de ela ser um recurso natural abundante o mau uso pode torná-la escassa, é preciso preservar, por isso, foi criado o Dia Mundial da Água celebrado no dia 22 de março. A data serve como alerta para chamar a atenção da importância da água para a sobrevivência de todos os ecossistemas.  Os alunos do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) João Bubach, em Flor do Campo, já têm consciência disso.

Na manhã desta sexta-feira (22) os alunos do turno matutino, acompanhados dos professores e familiares, plantaram 22 mudas nativas no quintal da escola para celebrar o Dia da Água. Além disso, eles também fizeram apresentações de músicas relacionadas ao tema.

A diretora da unidade, Edinéia Acacio dos Reis, conta que solicitou a ação aos técnicos da Secretaria de Desenvolvimento da Cidade e Meio Ambiente (Semdec) e eles prontamente atenderam ao chamado.

“Montamos um projeto e eu solicitei. Cada turma ganhou uma muda para cuidar durante o ano inteiro sob a supervisão da professora”, conta.

Os pequenos não esconderam a alegria em colocar a mão na terra para plantar, a alegria deles era perceptível.

Durante o ano letivo várias ações de economia de água são desenvolvidas na escola entre elas fechar bem as torneiras após o uso e lavar as mãos rapidamente. Edinéia salienta que não só no dia 22 de março, mas durante todo o ano é preciso trabalhar a temática. “Isso é muito importante porque forma cidadãos capazes de conservar e proteger esse recurso que é bem escasso, a água é muito importante e sem ela a gente não vive”, diz.

Palestra

Na Escola Estadual de Ensino Fundamental Adalberto Queiroz, em Bubu, os alunos tiveram uma palestra pra lá de animada com o coordenador de Educação Ambiental da Semdec, José Roberto Laureth. Os alunos aprenderam, interagiram e fizeram muitas perguntas sobre o tema.

A diretora da unidade, Danilza Pinto Ribeiro da Silva, aprovou a ação. “As crianças são o futuro e, se elas começam agora a perceber a importância que tem uma árvore, elas começarão a ter consciência que precisamos preservar”, afirma.

José Roberto engrossa a fala de Danilza. “Os grandes países estão vendo que a criança é o berço do aprendizado, temos que começar com elas, e é importante que a criança tenha esse aprendizado na prática. Temos três campanhas fundamentais na Semdec: Dia da Água, Semana do Meio Ambiente e Dia da Árvore, fazemos essas três campanhas envolvendo o maior número de alunos possível”.

 

Moradores contribuem na construição de Plano de Manejo em oficina

Trânsito engarrafado, excesso de trabalho, contas chegando… no dia a dia uma série de coisas deixam as pessoas estressadas, nesses momentos nada melhor do que o contato com a natureza para relaxar e recarregar as energias. Cariacica, que já é referência em turismo rural, vai ganhar mais um parque natural e mais uma área de preservação ambiental. Na tarde de ontem moradores da região que receberá os equipamentos estiveram reunidos em uma oficina.

A oficina em questão foi o Planejamento Participativo de Construção do Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental (APA) e do Parque Natural Municipal do Monte Mochuara (PNMMM).  Foram trabalhados tanto o zoneamento quanto as normas gerais das unidades.

O plano de manejo é uma espécie de manual de uso da área, ele detalha o que há de fauna, flora e costumes culturais, conforme explica o engenheiro agrônomo da Secretaria de Desenvolvimento da Cidade e Meio Ambiente (Semdec), Paulo Alves. “Queremos saber nessa oficina o que o pessoal entende daquela região para transferirmos para o plano de manejo que vai ser a nossa base, vai ser o manual do uso do parque”.

Ainda de acordo com engenheiro o parque será uma área de recreação natural que atenderá não só aos moradores de Cariacica, mas também turistas de todo o estado. “Poderão ser feitas trilhas e meio a natureza e escalada. Estamos pensando em um espaço com uma sede, auditório, museu, área de lazer, churrasqueira e estacionamento”, diz.

Novidade

A bióloga da Semdec, Bianca Campos Queiroz, explica que o modelo de plano de manejo que está sendo desenvolvido é novo. “Ele começou em dezembro de 2018 pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) que está repassando esse modelo para os municípios e para o estado. Estamos à frente, vamos fazer um plano de manejo nas normas novas que vieram da legislação federal”, comemora.

1X7A4722

O produtor rural e integrante do conselho de desenvolvimento rural de Cariacica, Ademir Geraldo Degasperi, é morador de Roda D’Água e participou da oficina.

“A minha indignação é que a maioria dos produtores que vão ser afetados entre aspas não estão participando, acho que teria que ter mais participação para que eles tenham mais conhecimento. Eu sou a favor, pois o cariaciquense e o capixaba em si vão se beneficiar. Cariacica é o pulmão da Grande Vitória e agora com essa implantação isso só consolidar”.

1X7A4728

O professor, escritor e filósofo Marco Antônio Pereira também participou da oficina. Ele conta que ficou sabendo na última hora mas fez questão de abrir um espaço na agenda para ir. “Uma área preservada pode gerar recursos para a região e para o município, temos que olhar a preservação do meio ambiente como um pulmão, uma coisa essencial, e sem esses minis pulmões o município não tem como respirar do ponto de vista ambiental, mas não só do ambiental, mas do econômico e cultural também”, avalia.

1X7A4725

Nesta quinta-feira (21) haverá a continuação da oficina.

Serviço:

Oficina de Planejamento Participativo de Construção do Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental (APA) e do Parque Natural Municipal do Monte Mochuara (PNMMM)

Local: Centro Cultural Frei Civitella Del Tronto. Avenida Expedito Garcia, 218, Campo Grande.

Dia: 21 de março

Horário: 09h às 17h

Telefone: (27) 3354-5403

Oficina de Construção do Plano de Manejo do Parque Natural Monte Mochuara

Nos próximos dias 20 e 21 será realizada no Centro Cultural Frei Civitella Del Tronto, em Campo Grande, a oficina de Planejamento Participativo de Construção do Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental (APA) e do Parque Natural Municipal do Monte Mochuara (PNMMM). Nesta, que é a terceira etapa dos estudos relativos à implantação das áreas, serão trabalhados tanto o zoneamento quanto as normas gerais das unidades.

Os estudos para implantação das áreas estão sendo desenvolvidos pela empresa Acquatool e tiveram início em fevereiro de 2018.  De acordo com o coordenador de Recursos Naturais da Secretaria de Desenvolvimento da Cidade e Meio Ambiente (Semdec), Wolmen Oliveira dos Santos, nas primeiras e segundas etapas foram trabalhadas questões como regularização fundiária, levantamentos de limites de propriedades, da vegetação, da fauna e histórico e cultural. As informações coletadas servirão como base para traçar o perfil do que será preciso para gerir o parque.

Todos os munícipes estão convidados a participar, no entanto, o convite, de acordo com o coordenador, é mais direcionado a moradores do entorno das áreas, produtores rurais, agricultores, representantes de instituições, secretarias municipais e Ministério Público. A mediação da oficina ficará a cargo de uma técnica do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Para ele a implantação da APA e parque irão representar um salto para o desenvolvimento local. “Em termos de turismo, pois muitas pessoas irão visitar as áreas. Será um benefício para todo mundo que vive no entorno”, defende.

O próximo passo após a oficina será a realização de uma audiência pública que ainda não tem data definida.

Serviço:

Oficina de Planejamento Participativo de Construção do Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental (APA) e do Parque Natural Municipal do Monte Mochuara (PNMMM)

Local: Centro Cultural Frei Civitella Del Tronto. Avenida Expedito Garcia, 218, Campo Grande.

Dias: 20 e 21 de março

Horário: 09h às 17h

Telefone: (27) 3354-5403

 

Avenida Alice Coutinho ganha placas culturais e placas indicativas com nomes de ruas

A Avenida Alice Coutinho ganhará 20 placas que homenageiam referências culturais de Cariacica. A iniciativa vem do Projeto “Personalidades da Cultura Cariaciquense”, contemplado pelo incentivo da Lei João Bananeira, da Secretaria Municipal de Cultura (Semcult). A inauguração das placas ocorrerá na sexta-feira (15), às 19h, na rua Waldemar Machado, em Vera Cruz, no cruzamento com a avenida.

As placas contam a história de vinte personalidades que representam a pluralidade cultural que existe no município. Dentre os homenageados estão o escritor e poeta Sérgio Blank, a poetisa Elisa Lucinda, o mestre de congo Prudêncio da Conceição Nascimento, a jornalista e historiadora Orlandina Dalapícola e o fotógrafo Claudio Postay.

“A proposta é possibilitar aos moradores o reconhecimento das expressões culturais, valorizando e difundindo os fazedores de cultura do município. Cariacica tem uma diversidade cultural significativa. Com o projeto, esperamos estimular os munícipes a conhecer mais sobre a cultura local”, destaca a produtora cultural e proponente do projeto, Maria Zalem Ramiro.

Além das placas culturais, as ruas que cruzam com a Avenida Alice Coutinho ganharam placas de identificação. Ramiro ressalta o apoio da Semcult e da Secretaria de Desenvolvimento da Cidade (Semdec) para realizar a ação. “No local, não existia nenhum suporte para instalação das placas. Como seria necessário adquirir esses suportes, buscamos, junto a Semdec, a aprovação da instalação dos suportes, das placas culturais e também das placas com o nome das ruas”.

Serviço:

Inauguração das placas de divulgação de personalidades da cultura cariaciquense e das placas de identificação de ruas.

Quando: sexta (15), às 19h.

Local: placa instalada à Rua Waldemar Machado, em Vera Cruz, no cruzamento com a Avenida Alice Coutinho Santos.

Contato: (27) 99852 5116 – Maria Zalém

Texto: Yvena Plotegher

Jornalista responsável: Alcione Coutinho

Começa terceiro período de andada do caranguejo-uçá

Começou hoje e segue até o próximo dia 15 o terceiro período de andada do caranguejo-uçá. Durante esses dias ficam proibidos a cata, o armazenamento, o transporte, a comercialização e o consumo. A medida está amparada na portaria nº 034-R de 26 de dezembro de 2018, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Seama).

Durante o período do defeso os crustáceos saem dos manguezais para se acasalarem e acabam sendo capturados. O gerente de Meio Ambiente da Secretaria de Desenvolvimento da Cidade e Meio Ambiente (Semdec), Adilson Teixeira, alerta que respeitar esse período é importante para garantir a reprodução da espécie.

Ele ainda ressalta que durante o último período de andada, que encerrou-se no dia 13 de fevereiro, foi apreendida uma dúzia de caranguejos em uma feira livre e foi evitada uma caranguejada em um bar. As apreensões foram frutos das várias fiscalizações que foram realizadas. ” E elas continuam sendo feitas em bares, feiras e mangues”, frisa.

A penalidade para quem desrespeitar o período do defeso é multa que varia de R$ 700,00 a 100 mil, acrescida de R$ 20,00 por cada kg de animal apreendido. Denúncias podem ser feitas pelo telefone: (27) 3354-5403 e pelo WhatsApp (27) 98831-6001. Os animais apreendidos são devolvidos ao habitat natural.

O quarto período de andada será de 07 a 14 de abril.

Moradores da região 3 recebem Ouvidoria no Seu Bairro em Nova Valverde

A região 3 irá receber o projeto Ouvidoria no Seu Bairro, realizado pela da Secretaria Municipal de Controle e Transparência (Semcont), no dia 13 de janeiro. A visita ocorrerá em Nova Valverde, mas moradores dos bairros Itacibá, Itanguá, Nova Brasília, Oriente, Rio Branco e Tucum poderão levar as demandas referentes aos seus bairros das 17h às 20h, na EMEF Leonilda das Graças Langa.

As Secretarias de Controle e Transparência, de Cultura, de Esporte e Lazer e de Saúde também estarão presentes no local, com atividades de saúde, como medição de pressão arterial, teste de glicemia, medição de Índice de Massa Corporal (IMC), correlação de circunferência abdominal às doenças do coração e dicas de nutrição. Além da uma exposição de produtos provenientes da Lei João Bananeira.

Ouvidoria Geral

Uma ouvidoria pública atua no diálogo entre o Cidadão e a Administração Pública, de modo que as manifestações decorrentes do exercício da cidadania provoquem a contínua melhoria dos serviços públicos prestados. Além do programa disponível nos bairros, o cidadão de Cariacica pode entrar em contato com a Ouvidoria Municipal pelo telefone 162, e-mail: ouvidoria@cariacica.es.gov.br, ou site.

Serviço:

Local: EMEF Leonilda das Graças Langa, Av. Belo Horizonte nº 39 – Bairro Nova Valverde.

Data: 13 de fevereiro de 2019, quarta-feira

Horário: Das 17h às 20h

Texto: Yvena Plotegher

Jornalista responsável: Alcione Coutinho

Projeto Apadrinhamento Afetivo realiza encontro

Tia me leva ao parquinho? Tia faz um bolo para mim? Tia brinca comigo? Tia compra aquele carrinho? Eu te amo, tia! A casa da cuidadora de idosos Jane Silvia Souza Prata, 47, que por anos foi silenciosa, agora já não é mais. Como ela mesma diz, a casa ganhou mais vida com a chegada de uma criança de 9 anos. Jane é uma das sete madrinhas do Projeto de Apadrinhamento Afetivo desenvolvido pela Secretaria de Assistência Social (Semas). Na tarde de ontem (31), Jane e outros padrinhos participaram de uma reunião de avaliação do projeto.

Os encontros acontecem trimestralmente e o intuito é ouvir dos padrinhos e madrinhas como está sendo a convivência com o menor acolhido. A assistente social do Projeto de Apadrinhamento, Aryany Rabbi Vedova Pires, explica que para além dos encontros presenciais o contato telefônico é mantido semanalmente.

É como brilho no olhar e fala mansa que Jane descreve a convivência com a criança de 9 anos que apadrinha desde agosto do ano passado. “A experiência tem sido muito boa, tenho uma ligação muito forte com crianças. A parte mais gostosa é quando ele chega lá em casa e tem um presentinho guardado para ele. Às vezes é muito difícil falar não, mas temos que saber falar”.

1X7A7539

Solidão foi o motivo que levou Jane a se tornar uma madrinha. “Terminei os estudos e não tive filhos, engravidar foi ficando para depois até que coloquei na cabeça que já não dava mais, foi quando conheci o projeto, por meio de uma colega que já tinha apadrinhado uma criança”, lembra.

Jane conta que, com o aval do marido, visitou o abrigo e passou a participar das festas, até que um dia chegou a vez dela apadrinhar uma criança. O ano era 2010 e o pequeno em questão tinha 3 anos de idade. “A casa ganhou alegria”, conta em tom de gratidão. Hoje, ela já está apadrinhando a segunda criança.

O Projeto de Apadrinhamento foi criado em 2012 e de lá pra cá tem proporcionado à crianças e adolescentes, com idades entre 7 e 18 anos, a oportunidade de vivenciarem experiências familiar e comunitária. “Para essas crianças e adolescentes que tiveram isso rompido, que foram negligenciadas e estão em vulnerabilidade”, explica Aryany.
1X7A7541
Para se tornar um padrinho alguns critérios devem ser seguidos: não estar inscrito no cadastro de adoção da Vara Especializada da Infância e Juventude e entregar à Semas toda a documentação listada no ato normativo 13/2015 do poder judiciário. Todo o processo, incluindo visita domiciliar, dura em média 3 meses.

No momento há 22 pessoas cadastradas para se tornarem padrinhos e 14 crianças e adolescentes para serem apadrinhadas.

Vida nova

Cronologicamente a professora Alessandra Ribeiro do Rosário nasceu em 08 de agosto de 1973, mas no dia em que apadrinhou a primeira criança, um menino de 11 anos, ela nasceu novamente. Foi nesta data que ela viu a vida ganhar mais sentido. Hoje ela é madrinha de uma adolescente de 17 anos.
1X7A7537
“A gente vê muito em escola crianças que sofrem abusos, essas coisa.  Com ele eu aprendi a valorizar mais as pequenas coisas.  A mensagem que eu deixo para quem está pensando em apadrinhar é que deve ir, pois o caminho é esse, não fique com medo”, aconselha.

Período de andada do caranguejo-uçá começa na próxima quarta-feira (06)

Na próxima quarta-feira (06) terá início o segundo período de andada do caranguejo-uçá, indo até 13 de fevereiro. Esta é a temporada em que os crustáceos se reproduzem, portanto, ficam proibidos a cata, o armazenamento, o transporte, a comercialização bem como o consumo. As proibições estão amparadas na portaria nº 034-R de 26 de dezembro de 2018, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Seama).
Durante o primeiro período do defeso, de 8 a 15 de janeiro, não foram identificadas andadas. Conforme declara o gerente de Meio Ambiente da Secretaria de Desenvolvimento da Cidade e Meio Ambiente (Semdec), Adilson Teixeira, em casos como esse os municípios têm autonomia para alterar a data do período do andada, também conhecida como defeso.

“Nós fizemos um acompanhamento e não identificamos andada na primeira fase, pois  vários abióticos podem interferir no período de reprodução.  Mas o município identificando a andada pode, por decreto, mudar a data do período do defeso”.
Ele ainda explica que constantemente são realizadas fiscalizações em mangues, pontos de comércio, feiras livres e, futuramente, em restaurantes, mas a principal saída continua sendo apostar na conscientização.

“O caminho não é apreender, é trabalhar a conscientização a partir da educação ambiental. Sempre durante as fiscalizações nós conversamos com as associações de pescadores, conscientizando-as que não adianta tirarem tudo do mangue hoje e amanhã não terem nada para tirar”, opina.

O terceiro período de andada será de 8 a 15 de março e o quarto de 7 a 14 de abril.

A penalidade para quem desrespeitar o período do defeso é multa que varia de R$ 700,00 a 100 mil, acrescida de R$ 20,00 por cada kg de animal apreendido. Denúncias podem ser feitas pelo telefone: (27) 3354-5403 e pelo WhatsApp (27) 98831-6001. Os animais apreendidos são devolvidos ao habitat natural.

Mais de 1 mil famílias à um passo da casa própria

O sonho da casa própria está cada vez mais perto de se tornar realidade para cerca de 1,4  mil famílias que serão contempladas com unidades dos empreendimentos residenciais São Roque e Limão, em Padre Gabriel e Limão, respectivamente. O empreendimento São Roque, que está com 80% das obras adiantadas, será o segundo conjunto habitacional do Programa Minha Casa Minha Vida em Cariacica, a previsão é que ele seja entregue ainda no primeiro semestre de 2019.

Na tarde desta sexta-feira (25) o prefeito em exercício, Nilton Basílio, se reuniu com representantes da Caixa, da Cobra Engenharia e das Secretarias de Desenvolvimento Social e Meio Ambiente (Semdec) e Assistência Social (Semas) para discutir questões pertinentes ao empreendimento São Roque, tais como estratégia de escolha das famílias que receberão as unidades e outros trâmites burocráticos. A previsão é que outras reuniões aconteçam para discutir o assunto.

De acordo com representantes da Caixa 80% da obra já está concluída, no entanto, ainda há alguns pontos a serem vencidos até data da entrega. Na visão da gerente de Clientes e Negócios do banco, Andressa Segatto, um dos pontos mais críticos é a seleção dos beneficiários.

“Há a questão do trabalho técnico social que precisa ser visto com as famílias, a infraestrutura que tem que ser concluída, a parte da Cesan, a questão da segurança que ficou de ser vista e a seleção dos beneficiários”, afirmou.

Durante a reunião um dos pontos mais evidenciados foi a necessidade da realização de um trabalho social com os futuros moradores do São Roque. Diante da proximidade dos prazos de entrega, a possibilidade de licitação para reforçar a equipe de assistentes sociais não foi descartada. “Nós vamos estudar isso na próxima semana para definirmos pela contratação de uma empresa para realizar esse trabalho técnico social que, certamente, será mais rápido do que tentarmos fazer com a nossa própria equipe”, afirmou Basílio.

De acordo com a assistente social da Secretaria de Desenvolvimento da Cidade e Meio Ambiente (Semdec), Kennia Andrade Ribeiro Malaquias, em síntese, o trabalho a ser desenvolvido com os beneficiários é uma conscientização. “Eles aprenderão a viver em comunidade vertical, o que pode ou não fazer e os tributos que terão que pagar no condomínio”.

Segundo Basílio o empenho das secretarias que já estão envolvidas tem sido fundamental para  agilidade dos trâmites e, para fortalecer ainda mais esse time, a previsão é que as Secretarias de Educação e Saúde também se juntem às Secretarias de Desenvolvimento da Cidade e Meio Ambiente, Infraestrutura e Assistência Social.

“A partir de agora será importante a participação da Secretaria de Assistência Social de uma maneira mais eficaz, e também das Secretarias de Educação e Saúde para que possamos nos ater à questão dos equipamentos públicos que irão atender essa comunidade”, explicou o prefeito em exercício.
IMG_0060
Seleção

Ao todo 496 famílias já foram cadastradas para receberem unidades habitacionais do empreendimento São Roque. A partir de agora esses cadastros passarão por uma verificação de pendências.”Esses cadastros passarão pelo CadÚnico, a família que não o possui deve fazer, porque ele gera um código que vai para a Caixa automaticamente e é através dele que serão analisados todos os dados desse munícipe. Estando tudo certo a Caixa nos informa e nós selecionamos essa família”, explica Kennia.

Ela ainda explica que se enquadram dentro dos critérios de escolha famílias do entorno do empreendimento, mulheres “chefes” de família, pessoas idosos e deficientes físicos. Lembrando que é preciso residir no  município há mais de um ano e ter renda familiar de até R$ 1,8 mil.

Discussão sobre mobilidade ouve setor de transportes em Cariacica

A primeira reunião da Associação Empresarial de Cariacica (AEC), que reúne os maiores investidores no município, foi inteiramente dedicada à discussão sobre mobilidade. Técnicos  da Secretaria de Desenvolvimento da Cidade e Meio Ambiente (Semdec) apresentaram o Plano de Mobilidade que está sendo elaborado e apontaram algumas diretrizes, ao passo que os empresários contribuíram com dados e sugestões. Entre os pontos elencados pela equipe da Prefeitura estão ativação de áreas com pouca o nenhuma circulação, principais vias de escoamento de cargas e definição de áreas para novos conglomerados empresariais. Para isto, o Plano Diretor Municipal (PDM), que já está para votação na Câmara de Vereadores, foi norteador.

O encontro foi na manhã desta terça-feira (22) no auditório da AEC, em Jardim América, e contou ainda com sa presenças do secretário Cláudio Denicoli e do prefeito Geraldo Luzia de Oliveira Junior, o Juninho. A apresentação mostrou pontos que são considerados estratégicos pelo município para o crescimento e desenvolvimento econômico. Este estudo é pioneiro em Cariacica e aponta alguns números que podem surpreender. Por exemplo, 65% dos moradores se deslocam diariamente dentro dos limites da própria cidade, desmistificando a ideia de cidade dormitório e mostrando que a cada apresenta mais opções de emprego e educação de qualidade.

O coordenador de Planejamento urbano, David Coelho Nogueira, explicou que ouvir a sociedade em todos os setores é importante não só no momento de elaboração, mas constantemente para que o Plano reflita a exata necessidade do município. “O plano preconiza a diversidade de modais, mas integrando estes tipos diferentes. Porém, nosso maior desafio é que Cariacica não é isolado, está no coração da Grande Vitória e somos  o eixo de entrada para os portos de Vitória e Vila Velha”, completou.

Pedro Paulo Fatorelli, representante do setor de cargas, analisou a situação do Porto de Vitória e apontou que este é o momento para se pensar logística. “Após as obras de dragagem realizadas, quando investiu-se mais de R$ 180 milhões, a perspectiva é que os portos de Vitória, que hj movimenta 7 milhões de toneladas, ampliem rapidamente em 50% depois de findadas as obras de dragagem. Mas isso só será possível se existir como acessar o porto. Hoje, a principal via para da Grande Vitória e do Estado é é a BR-447”, afirmou.

Já o prefeito Juninho afirmou a importância do diálogo com os empresários na construção de mais um instrumento de planejamento. “Temos que ouvir sempre que conhece e quem mais é impactado pelas dificuldades de mobilidade, principalmente no momento posterior à conclusão do documento para viabilizar investimentos junto aos governos e iniciativa privada”, analisou o prefeito.